Jet Lag

Jet Lag

O jet lag é uma alteração temporária que causa sintomas como a fadiga, a desorientação e a insónia, após a viagem aérea por diferentes fusos horários.
Esta condição afecta pessoas de todas as idades, apesar de ser mais comum em pessoas com mais de 60 anos e menos frequente em crianças e bebés. As dificuldades do corpo em se adaptar a um novo fuso horário leva a alterações no ritmo circadiano, o relógio biológico do nosso corpo, responsável pela regulação das funções biológicas, como a hora de dormir e comer, provocando uma sensação de letargia e quebrando as rotinas do dia-a-dia.

O ritmo circadiano para além de regular as funções corporais, regula a temperatura, a tensão arterial, os níveis hormonais e de glucose no sangue. Para ajudar na regulação destas funções e percepcionar a hora do dia, as fibras do nervo óptico transmitem informação sobre a luz ou escuridão directamente ao centro do tempo no hipotálamo. Quando a luz por exemplo do amanhecer ou entardecer é percepcionada pelo nervo óptico muito mais cedo ou tarde do que é normal, o hipotálamo pode levar a actividades que o resto do corpo não está preparado para enfrentar, desencadeando-se o jet lag.

A hormona melatonina desempenha um papel fundamental na regulação biológica do corpo, uma vez que é libertada na corrente sanguínea após o pôr do sol, promovendo o sono. Contudo, se for percepcionada luz, o hipotálamo sustem a produção de melatonina, o que pode voltar alguns dias a voltar ao normal.

Quanto mais longa a viagem e quanto mais fuso horários diferentes se atravessarem, mais severo é o jet lag, podendo ser um entrave em viagens de negócios ou arruinar umas tão merecidas férias.

O que é um fuso-horário?

Para melhor perceber e tratar o jet lag, é importante conhecer o que é um fuso horário. O mundo está dividido em 24 fuso horários diferentes, um para cada hora do dia. Cada zona tem aproximadamente 1600 Km e de acordo com o movimento de rotação da terra, cada fuso horário tem uma hora diferente. A hora varia com base no meridiano de Greenwich que passa por Londres, variando uma hora por cada 15º viajados em cada direcção, este ou oeste.

Sintomas do jet lag

O Dr Bram Broms da clínica euroClinix esclarece: “Os sintomas do jet lag podem variar de pessoa para pessoa, bem como a sua severidade aumenta à medida que uma maior distância e mais fusos horários são atravessados.”

O sintoma mais comum é a desregulação dos padrões de sono, sendo frequente a insónia durante a noite e a fadiga e cansaço durante o dia, por ser difícil estabelecer novos horários de dormir. Outros sintomas incluem má disposição, obstipação, diarreia, náuseas, perda de apetite, ansiedade e dores de cabeça. A duração dos sintomas pode ir até um ou dois dias, desaparecendo estes à medida que o corpo se adapta ao novo fuso horário. A direcção do voo também desempenha um papel importante na severidade dos sintomas, com as pessoas que viajam para Norte ou sul dentro do mesmo fuso horário a sofrerem menos sintomas e os viajantes que viajam para Este a experienciarem os sintomas mais severos, devido a estarem a perder horas relativamente ao local de origem. Quando a viagem é para Oeste, a adaptação consegue ser mais fácil, o que não quer dizer que não se desenvolvam igualmente sintomas.

Como evitar o jet lag?

Infelizmente o jet lag não pode ser evitado, porém, podem ser tomadas algumas medidas preventivas que ajudam a reduzir a severidade dos sintomas e a melhorar o tempo de recuperação. Antes de viajar, é possível adaptar a rotina de sono ao fuso horário de destino, alterando a hora de deitar para uma hora mais tarde, no caso da viagem ser para Oeste ou para uma hora mais cedo se a direcção for Este. Manter a calma e dormir o suficiente antes do voo também ajuda a que os sintomas do jet lag passem mais despercebidos.

Durante a viagem é fundamental manter a hidratação e por isso evitar o consumo do álcool, manter uma certa actividade, tal como esticar os braços e as pernas e fazer pequenos períodos de descanso durante o voo.

Descansar aquando da chegada, principalmente se esta for à noite, pode ajudar a recuperar energias e aliviar os sintomas do jet lag.

No caso de viagens frequentes, principalmente em pessoas que tiveram dificuldades no passado em lidar com o jet lag, pode estar recomendado o tratamento com melatonina, para ajudar a regular o ritmo circadiano e a evitar sintomas como a insónia. Os tratamentos disponíveis contêm melatonina sintética, que mimetiza as funções na melatonina naturalmente produzida pelo organismo.

Texto: Clínica euroClinix